Triki: ferramenta de coleta e análise de cookies

Juan Elosua    18 febrero, 2021
Triki: ferramenta de coleta e análise de cookies

Em julho de 2020, a Agência Espanhola de Proteção de Dados, após a entrada em vigor do Regulamento Geral Europeu de Proteção de Dados e várias consultas com o Comitê Europeu de Proteção de Dados (CEPD), atualizou seu guia do usuário dando um prazo para os proprietários do site até 31 de outubro, 2020 para se adaptar a ele.

Como resultado deste novo regulamento, do TEGRA, o centro de inovação em cibersegurança promovido por ElevenPaths e Gradiant na Galiza , decidimos lançar uma investigação que iria analisar a utilização de cookies nas páginas web mais visitadas em Espanha após a entrada em vigor do regulamento e verifique sua adequação.

Há um mês publicamos os resultados de uma investigação sobre o uso de cookies e um relatório completo sobre o mesmo. No decorrer da pesquisa e com o objetivo de poder sistematizar a análise e coleta de cookies , passamos a gerar as mechas do que acabou se tornando a ferramenta Triki sobre a qual nos aprofundaremos neste post e que foi lançada para a comunidade no Github.

O Triki permite a navegação automatizada para um conjunto configurável de sites e extrair os cookies utilizados e gerar estatísticas de alto nível sobre suas principais características. Ele é fortemente baseado nos recursos de automação do navegador da web do Selenium .

Para facilitar uma análise mais abrangente, o Triki também fornece um script auxiliar que permite que todas as informações coletadas sejam carregadas em um banco de dados SQLite.  

Com o seu lançamento, convidamos os leitores de nossa pesquisa e deste post a verificar como seus sites de interesse gerenciam cookies e se eles aderem ou não às normas vigentes. 

Todas as informações sobre seu uso constam do README da ferramenta no Github da Telefónica . Ainda não está convencido? Preparamos este vídeo-resumo de suas funcionalidades para ajudá-lo a dar o salto e testá-lo:


O centro de cibersegurança TEGRA faz parte da unidade conjunta de investigação em cibersegurança IRMAS (Sistemas Avançados de Gestão de Direitos de Informação), que é cofinanciada pela União Europeia, no âmbito do Programa Operacional FEDER Galicia 2014-2020, para promover o desenvolvimento tecnológico, a inovação e pesquisa de qualidade.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *